7 erros comuns que as empresas cometem com o Google AdWords

Seu objetivo é levar tráfego qualificado para seu site, certo?

E aprender a “como anunciar no Google” de forma eficiente pode ser decisivo pro seu negócio.

Afinal, com a quantidade de ruído digital hoje em dia, colocar os seus links patrocinados na cara dos seus clientes vai fazer toda a diferença.

E o Google AdWords é a ferramenta que mais poupa o seu esforço nessa tarefa, trazendo resultados incríveis se bem utilizada.

No entanto, só porque é fácil abrir uma conta no Adwords, não significa que é fácil gerar retorno positivo sobre o investimento.

Muitos anunciantes novatos começam com ótimas intenções, mas experiência limitada.

Como resultado, acabam cometendo erros comuns que podem prejudicar a rentabilidade das campanhas.

Se suas campanhas iniciais produziram resultados insatisfatórios, evite os 7 erros a seguir e tente melhorar o seu ROI:

1. Comprar palavras-chave muito amplas

Leia atentamente: se você é um novo anunciante, provavelmente nunca conseguirá disputar a primeira posição em palavras-chave amplas, tais como “tênis femininos”.

E mesmo que arrisque isso, vai pagar muito caro por esse privilégio.

Portanto, a menos que você seja a Netshoes, é improvável que seu faturamento justifique tal investimento.

Em vez disso, comece suas campanhas de AdWords com grupos de cinco a 10 palavras-chave de cauda longa.

E dê preferência àquelas que você identificou como boas opções, baseadas em informações do Google Analytics ou Google Webmaster Tools.

Invista em palavras amplas somente se você for capaz de comprovar ROI positivo – depois de um teste inicial.

 

2. Colocar muitas palavras-chave em um grupo de anúncios do Google Adwords

O mundo ideal seria você criar UMA página de destino e UM anúncio para CADA palavra-chave.

Assim alcançaríamos a melhor segmentação imaginável para sua audiência.

Mas já que ninguém tem tanto tempo, mantenha seus grupos de anúncios com entre 5 a 10 palavras-chave no máximo, como já mencionado acima.

Com essa estratégia, você evita que muitas palavras e frases não relacionadas utilizem os mesmos anúncios e páginas de destino.

 

3. Veicular anúncios do tipo “Rede de Pesquisa com exibição em Display”

O Google tenta empurrar esse tipo de combinação de campanha, mas a real é que PESQUISA e DISPLAY precisam de abordagens publicitárias diferentes.

Crie campanhas de Pesquisa, Display ou ambas, mas certifique-se de que os anúncios criados seguem as boas práticas do mercado para cada estilo individual de campanha.

 

4. Concentrar tráfego somente na sua página inicial

Cada visitante que você trouxer via Adwords deve chegar em uma página de destino apropriada para seus interesses.

Em vez disso, se você simplesmente deixa os visitantes caírem em sua página inicial, pode haver muito trabalho para que eles encontrem as informações desejadas.

E o que isso quer dizer?

Que você pode estar reduzindo drasticamente o seu ROI, perdendo oportunidades de conversão e gastando muito mais do que deveria.

Sim, dá um pouco mais de trabalho criar páginas de destino personalizados para cada campanha.

Mas os resultados valem o esforço.

Uma dica: hoje, com tantas ferramentas para criação de landing pages, fica quase impossível não utiliza-las no dia a dia. E são extremamente simples de operar.

Algumas delas: Unbounce, LeadPages e Instapage.

Neste post do Viver de Blog você pode encontrar dicas de como otimizar suas páginas de destino (landing pages).

 

5. Não incluir palavras-chave negativas

Suponha que seu e-commerce venda sapatos de grife femininos.

Dependendo da tática que você usa, sua campanha de AdWords para “sapatos femininos” poderia gerar tráfego para buscas como “sapatos de grife femininos” ou até mesmo “sapatos femininos baratos”.

Uma vez que cada clique custa dinheiro – e que pessoas procurando por “sapatos femininos baratos” não são seus clientes – basta adicionar a palavra-chave negativa “-baratos”.

É uma ação meio óbvia, mas você vai deixar de gastar dinheiro a toa. Revise sua estratégia e inclua palavras-chave negativas HOJE!

 

6. Não fazer testes A/B reais com seus anúncios

Se você criar mais de uma variação de anúncio (algo que você deve fazer para testes A/B), o padrão do Google é servir com mais frequência aquele que ele acredita ter melhor desempenho.

Embora isso possa ajudar o seu ROI geral, não será um teste A/B real, já que a frequência de variação de seus anúncios não será uniforme.

Para evitar que isso ocorra:

a) Escolha a campanha desejada;

b) Clique na seção “Configurações”;

c) Em seguida, clique em “Configurações avançadas” (onde você encontrará quatro opções de rotação: “Otimizar para cliques”, “Otimizar para conversões”, “Alterar uniformemente” e “Alterar indefinidamente”);

d) Selecione a opção “Alterar indefinidamente” para manter sua campanha limpa.

 

7. Não medir ROI

Veicular campanhas sem detectar quais dos cliques pagos se converteram em clientes é desperdiçar dinheiro – com tráfego desqualificado.

Mensure as conversões que:

a) Entraram em seu funil de vendas a partir de um clique pago e;

b) Tornaram-se clientes pagantes;

Isso vai te mostrar o jeito certo de concentrar o investimento futuro.

Com essa análise você tem informações sobre quais campanhas devem ser incrementadas e quais grupos de anúncios ou palavras-chave devem ser completamente descartados.

Acompanhar as conversões de seu site exige que você primeiro defina seu funil de vendas.

Em seguida é preciso instalar um pixel de conversão do AdWords ou criar metas do Google Analytics em seu site.

É um pouco mais complicado do que simplesmente criar uma campanha sem acompanhar conversões.

Mas implementar essas medidas é a única forma real de entender se os seus anúncios estão fechando com ROI positivo.

Fonte: Business Ideas by Marcelo Pimenta

Print Friendly
Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *